Compartilhar:

Exatamente 50% dos empreendedores na Paraíba que optaram por fechar seus negócios durante a crise provocada pelo coronavírus nos últimos meses estão decididos a abrir outra empresa no futuro. Os outros 50% dos entrevistados, por sua vez, afirmam que irão criar um negócio informal.

Os dados são da 4ª edição da pesquisa “O impacto da pandemia de coronavírus nos pequenos negócios”, produzida pelo Sebrae em parceria com a FGV, que teve as entrevistas realizadas entre os dias 29 de maio e 2 de junho.

Para auxiliar tanto esses novos negócios como, também, aqueles que continuam resistindo à crise por meio das mais diversas alternativas, o Sebrae Paraíba está oferecendo um serviço gratuito de consultorias online, com até quatro horas de duração.

As consultorias oferecidas pelo Sebrae são realizadas através de uma plataforma de videoconferência. Os agendamentos podem ser realizados por meio de dois canais: a Central de Relacionamento do Sebrae, através do telefone 0800 570 0800, e pelo Whatsapp da instituição, cujo número é (83) 99193-3372. Podem solicitar o serviço os empresários de qualquer região do estado.

Os temas disponíveis para essa consultoria são: “Como melhor negociar com bancos, fornecedores e governo”, “Planejamento para gestão e acesso ao crédito”, “Planejamento e gestão financeira do negócio”, “Estratégia para vendas online”, “Organize o seu serviço de entregas”, “Remodele o seu negócio e crie oportunidades”, “Direitos e deveres trabalhistas” e “Marketing Digital”.

De acordo com a analista técnica do Sebrae Paraíba, Bera Wilson, alguns temas têm sido mais procurados nas consultorias, como questões relativas ao marketing digital buscando a inclusão digital de seus negócios para as vendas.

“Fazemos muitas consultorias também sobre gestão financeira, como ajustar os recursos, como fazer uma negociação de dívidas com os fornecedores. Todas essas nuances financeiras podem ser tratadas na consultoria online, assim como a modelagem de negócios, tanto para os novos negócios como para os que estão em funcionamento e precisam de uma reinvenção”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *